O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, afirmou esta segunda-feira, na Índia, que Portugal está «a sair da recessão técnica» e destacou que a economia portuguesa está hoje «muito mais competitiva».

«A economia portuguesa parece ter dado a volta no segundo trimestre de 2013, quando tivemos o primeiro crescimento após dez trimestres consecutivos de recessão. Estima-se que o crescimento no terceiro trimestre também deverá voltar a ser positivo. Esta tendência positiva leva-nos a acreditar que estamos a sair da recessão técnica», referiu o ministro, na sua intervenção na sessão plenária do encontro de responsáveis dos Negócios Estrangeiros da Europa e da Ásia, que começou hoje de manhã em Nova Deli, Índia.

No discurso, dedicado ao tema Reforçar a cooperação económica e revitalizar o crescimento, Machete deu o exemplo do programa de ajustamento orçamental implementado em Portugal, sublinhando que «estão a surgir sinais encorajadores».

Os resultados, salientou, devem-se ao esforço coletivo feito pelos portugueses.«Temos vários sinais de recuperação da nossa economia e finanças públicas. Um deles é o notório e rápido ajustamento da balança de transações corrente», que disse esperar que conduza à criação de emprego, em particular para os jovens, «prioridades máximas» do executivo

português.

O objetivo final do Governo, sustentou, é que Portugal possa regressar aos mercados em 2014 e que consiga financiar-se sozinho.

O discurso de hoje de Machete acontece um dia depois de o ministro dos Negócios Estrangeiros ter dito, no domingo, à Lusa que um segundo resgate «é evitável» desde que as taxas de juro a 10 anos igualem ou fiquem abaixo dos 4,5%.

O líder do PS, António José Seguro, considerou no mesmo dia que as palavras de Machete são de «uma enorme gravidade» e apelou ao primeiro-ministro para que «ponha juízo» nos seus ministros.

O encontro na Índia reúne hoje e na terça-feira na Índia ministros de Negócios Estrangeiros de 49 países da Europa e da Ásia.