Os trabalhadores independentes que tenham contabilidade organizada vão poder deduzir ao seu IRS todas as despesas com viagens, deslocação e estadias relacionadas com a sua atividade profissional, noticia o Jornal de Negócios.

É uma das novidades da proposta de lei do IRS que vai começar a ser discutida esta semana na Assembleia da República e que traz algumas alterações.

Até agora, as despesas de deslocação, alojamento e alimentação dos contribuintes e dos familiares que trabalhem com o empresário por conta própria podem ser abatidas, mas não podem exceder os 10% dos proveitos contabilizados.

A proposta do Governo é a de permitir que estas despesas sejam consideradas como custo do exercício, sem qualquer limite.

Outra das proposta tem que ver com a simplificação das regras para quem quer mudar entre o regime simplificado ou da contabilidade organizada para a categoria B. A lei deve deixar cair a obrigatoriedade de permanência num ou outro regime durante pelo menos três anos, e passará a permitir que a escolha seja feita anualmente.