As exportações desaceleram o crescimento para 1,9% e as importações aceleraram para 3,2% em 2014, elevando o défice da balança comercial para 10.565,3 milhões de euros, divulgou esta segunda-feira o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2013, as exportações tinham crescido ao ritmo de 4,5%, bastante acima dos 0,9% das importações, o que tinha deixado o défice comercial em 925,8 milhões de euros abaixo de 2014 e a taxa de cobertura 1,1 pontos percentuais (p.p.) acima de 2014 (a taxa de cobertura foi de 82,0% em 2014).

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, no conjunto do ano de 2014, as exportações aumentaram 4,3% e as importações cresceram 6,0%.

Considerando apenas o último trimestre de 2014, as exportações aumentaram 4,6% e as importações 2,0% em termos homólogos, tendo o défice da balança comercial diminuído 246,3 milhões de euros e a taxa de cobertura subido 2,0 p.p. para 82,8%.

Já analisando apenas o mês dezembro de 2014, as exportações de bens aumentaram 4,9% e as importações cresceram 1,3% face ao mês homólogo (-0,3% e +2,9% em novembro, respetivamente).

O aumento das exportações em dezembro deveu-se sobretudo ao comércio intra-União Europeia (UE), em especial nos combustíveis minerais, máquinas e aparelhos e outros produtos), enquanto as importações aumentaram 1,3%, em resultado da evolução do comércio extra-UE (essencialmente devido aos combustíveis minerais), dado que as importações intra-UE diminuíram.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, em dezembro de 2014 as exportações aumentaram 6,3% e as importações diminuíram 2,8% face ao mês homólogo (respetivamente -0,2% e +5,5% em novembro de 2014).

No que se refere às variações face ao mês anterior, em dezembro de 2014 as exportações diminuíram 10,2%, essencialmente em resultado da evolução do comércio intra-UE (destacando-se os veículos e outro material de transporte).

Já as importações diminuíram 6,1%, devido ao comércio intra-EU, em reflexo da “redução generalizada” de quase todos os grupos de produtos, em especial nos veículos e outro material de transporte, máquinas e aparelhos e metais comuns, dado que nas importações extra-UE se verificou um aumento.

Os dados do INE apontam que, no 4.º trimestre de 2014, as exportações intra-UE cresceram 3,6% e as importações intra-UE aumentaram 2,5%, face ao período homólogo, a que correspondeu uma taxa de cobertura de 75,5% e um défice de 2.809,2 milhões de euros.

Apenas no mês de dezembro, as exportações intra-UE aumentaram 5,5% face ao mês homólogo de 2013 e as importações intra-UE diminuíram 4,3%, enquanto face ao mês anterior as exportações intra-UE diminuíram 13,6% e as importações Intra-UE diminuíram 8,2%.

No conjunto do ano de 2014, as exportações intracomunitárias aumentaram 2,8% (+3,5% em 2013) e as importações intracomunitárias subiram 7,1% (+1,7% em 2013), sendo que, excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações intra-UE aumentaram 4,1% e as importações intra-UE cresceram 6,7%.

No que se refere ao comércio extracomunitário, no 4.º trimestre de 2014 as exportações aumentaram 7,0% e as importações cresceram 0,6%, em termos homólogos, o que resultou num excedente de 221,1 milhões de euros e numa taxa de cobertura de 106,1%.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações extra-UE cresceram 11,0% e as importações aumentaram 1,1%, tendo o saldo da balança comercial extra-UE, com exclusão deste tipo de bens, atingido um excedente de 1.639,0 milhões de euros, a que correspondeu uma taxa de cobertura de 193,7%.

Em dezembro, as exportações para os países terceiros aumentaram 3,4% face ao mesmo mês de 2013 e as importações extra-UE aumentaram 23,0%.

Relativamente ao mês anterior, em dezembro de 2014 as exportações extra-UE diminuíram 1,8% e as importações extra-UE aumentaram 1,0%.

No conjunto do ano de 2014, as exportações extra-UE diminuíram 0,1% (+7,1% em 2013) e as importações extra- UE registaram uma variação de -6,7% (-0,8% em 2013), sendo que, excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações extra-UE cresceram 4,9% e as importações extra-UE aumentaram 2,0%.

Numa análise por grandes categorias económicas, o INE destaca no 4.º trimestre de 2014, face ao período homólogo de 2013, os acréscimos nas exportações de produtos alimentares e bebidas (+10,1%), bens de consumo (+5,7%) e máquinas e outros bens de capital (+5,4%), enquanto os combustíveis e lubrificantes registaram uma redução de 1,3%.

No que se refere às importações, salienta os aumentos nas categorias do material de transporte e acessórios (+15,2%) e nos bens de consumo (+7,3%), tendo as importações de combustíveis e lubrificantes apresentado a maior redução (-5,6%).