Portugal colocou o montante máximo previsto de 1.250 milhões de euros (ME) de Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos, com a taxa de juro a fixar-se num mínimo histórico, incólume ao risco da Grécia poder sair do euro caso falhe as negociações com os seus parceiros europeus.

De acordo com a Reuters, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) adiantou que a taxa de colocação desceu para 2,5062%, batendo o mínimo histórico de 3,1766% no leilão de 12 de Novembro.

A procura por estas OT/Outubro/2025 excedeu a oferta em 1,88 vezes, que compara com um bid-to-cover ratio de 2,07 vezes no leilão anterior.

O montante indicativo global era de 1.000 a 1.250 ME.

No mercado secundário de dívida, a yield das OT’s portuguesas a 10 anos aliviam 1 ponto base para 2,556%.

A Europa aguarda uma crucial reunião dos ministros das Finanças da zona euro que vai esta tarde discutir a proposta do novo governo grego, do partido anti-austeridade Syriza, para resolver a elevada dívida do país sem recurso a uma extensão do atual programa de ajuda financeira.

Ontem, vários órgãos de Imprensa internacionais noticiaram um eventual acordo, que daria tempo ao Governo para discutir um plano económico com os parceiros, mas a Comissão Europeia desmentiu ter feito uma proposta sobre uma extensão de seis meses.

A taxa de juro das Obrigações do Tesouro (OT) gregas a 10 anos agrava 38 pb para os 10,98%.