O Governo calcula em torno dos 700 milhões de euros a poupança que a Caixa Geral de Aposentações (CGA) conseguirá com a convergência do sistemas de pensões público com o regime geral da Segurança Social, cujo diploma foi discutido esta manhã com os sindicatos.

«Esta proposta de redução da despesa por via da correção do valor das pensões que estão em pagamento tem que ser somada ao aumento das contribuições que passam a ser exigidas à entidade empregadora pública e que levarão a que o nível de insuficiência que a Caixa Geral de Aposentações apresenta anualmente tenha uma redução na ordem de 1,1 mil milhões de euros», disse o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, após as reuniões com as estruturas sindicais da função pública.

Nesta última ronda de reuniões com os sindicatos foi discutida a convergência do sistema de pensões, que inclui cortes no valor das pensões em torno dos 10%.

A Frente Comum reagiu à proposta do Governo considerando-a «inconstitucional». Também o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) disse não aceitar cortes nas pensões já atribuídas.

Para a FESAP está posta de parte qualquer hipótese de acordo com o Governo nesta matéria, pelo que vai pedir negociação suplementar.