O valor médio de avaliação bancária em Portugal aumentou «ligeiramente» em janeiro face ao mês anterior, para 1.010 euros por metro quadrado (m2), mantendo-se inalterado em termos homólogos, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), noticia a Lusa.

Face a dezembro, o valor médio de avaliação bancária, realizada no âmbito da concessão de crédito à habitação, aumentou 0,5% no primeiro mês de 2015, enquanto a estabilização registada em termos homólogos se seguiu a uma variação homóloga de -0,9% no mês anterior.

Segundo o INE, o acréscimo mensal do valor médio de avaliação para o total do país refletiu, em particular, o aumento na área metropolitana de Lisboa, cujo valor médio passou de 1.208 euros/m2 em dezembro para 1.221 euros/m2 em janeiro.

Já a variação homóloga nula traduziu o “efeito conjugado” do aumento (0,9%) nos apartamentos e da diminuição (-1,1%) nas moradias.

Nos apartamentos, o valor médio de avaliação bancária aumentou 0,8% em janeiro face a dezembro, fixando-se em 1.051 euros/m2.

Numa análise por regiões NUTS II, a área metropolitana de Lisboa registou o maior aumento do valor médio (12 euros/m2) na avaliação de apartamentos, fixando-se o respetivo valor de avaliação em 1.215 euros/m2.

Em termos homólogos, o valor médio de avaliação dos apartamentos no total do país aumentou 0,9%, tendo as regiões do Norte, Centro e área metropolitana de Lisboa sido as únicas a apresentarem valores superiores aos registados no período homólogo.

Os valores médios de avaliação para o total do país foram 1.031 euros/m2 e 1.002 euros/m2 para apartamentos das tipologias T2 e T3, respetivamente, aumentando oito euros/m2 (0,8%) nos apartamentos T2 e nove euros/m2 (0,9%) nos T3, face ao mês anterior.

No que se refere às moradias, o valor médio de avaliação bancária para o total do país fixou-se em 942 euros/m2 em janeiro, menos um euro/m2 (variação de -0,1%) face a dezembro.

Segundo refere o instituto estatístico, as diminuições verificadas nas regiões Centro e Algarve (variações de -0,7% e -2,3%, respetivamente) “mais que compensaram” os aumentos apresentados nas restantes regiões.

Em termos homólogos, o valor médio de avaliação das moradias diminuiu 1,1%, tendo a diminuição de 24 euros/m2, para 879 euros/m2 (-2,7%), observada na região Norte sido “determinante” na variação global do valor médio de avaliação desta natureza de alojamento.

Em janeiro, as moradias de tipologia T3 e T4 registaram para o total do país valores médios de avaliação de 925 euros/m2 e 947 euros/m2, respetivamente, (927 euros/m2 e 951 euros/m2 em dezembro, pela mesma ordem).

Tendo como referência a média do país, a análise por NUTS III dos índices de valor médio de avaliação bancária de habitação mostrou acréscimos, em janeiro face ao mês anterior, em 10 das 25 regiões analisadas, tendo o Alentejo Litoral registado o aumento mais acentuado (4,5%).