As rendas vão ser atualizadas em torno de 0,5% no próximo ano, naquele que será o maior aumento desde 2014, noticia o Negócios.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o Índice de Preços do Consumidor (IPC), excluindo habitação, registou, em julho, uma variação média nos últimos 12 meses de 0,53%.

É este indicador, mas relativo ao mês de agosto, que determina o coeficiente de atualização automática das rendas em Portugal. A variação entre um mês e outro não costuma ser superior a uma décima, pelo que é possível antecipar, com razoável fiabilidade, o aumento que poderá será cobrado aos arrendatários em 2017.

Os valores das rendas estão geralmente sujeitos a atualizações anuais que, nos termos da lei geral, se aplicam de forma automática em função da inflação. O coeficiente de atualização aplicável às rendas corresponde à variação média do IPC, sem habitação, nos últimos 12 meses e para os quais existam dados disponíveis no final de agosto.