A Espírito Santo Property já conseguiu começar a pagar os 7,4 milhões de euros que tinha de desembolsar na primeira fase do seu plano de recuperação, escreve o Jornal de Negócios.

O Ministério Público aceitou retirar o montante das contas da empresa do ramo imobiliário do antigo grupo Espírito Santo, que se encontram arrestadas.

Este montante corresponde a 20% do total da dívida da empresa e que tinha de pagar este ano, no âmbito do Processo Especial de Revitalização. A ideia é assegurar anualmente 20% da dívida total até 2020.

Cerca de cinco milhões desses 7,4 milhões de euros vão para os titulares de papel comercial da ES Property (ex-Espart).

A empresa deve 58,7 milhões de euros a 382 entidades, sendo que 24 milhões são relativos a papel comercial. O BCP e o Fisco estão na lista de credores.