A operação da TAP continua a decorrer com normalidade no segundo de quatro dias de greve contra a privatização da companhia área, disse este domingo à agência Lusa fonte oficial da empresa.

Tal como aconteceu no sábado, também durante o dia deste domingo a operação da TAP «está a decorrer com toda a normalidade», disse à Lusa fonte oficial da empresa, acrescentando que os atrasos verificados durante o dia não estão relacionados com a paralisação, mas principalmente com condições meteorológicas.

Os sindicatos nacionais dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) e do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e o dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) mantiveram o pré-aviso de greve para os dias 27, 28, 29 e 30 de dezembro, em protesto contra a privatização da TAP.

No entanto, os sindicatos têm apelado aos trabalhadores que se apresentem ao trabalho durante o período de greve, cumprindo a requisição civil que o Governo decretou para minimizar o impacto da paralisação.

Na quarta-feira, nove dos 12 sindicatos que inicialmente tinham anunciado uma greve contra a privatização da empresa desconvocaram a paralisação, depois de terem assinado um memorando com o Governo, que aceitou discutir com os representantes dos trabalhadores as condições para manter a TAP em Portugal por dez anos após a privatização.