O ministro das Finanças alemão revelou, numa entrevista ao jornal francês Libération, que 15 dos seus homólogos do Eurogrupo, entre os quais Maria Luís Albuquerque, apoiavam em julho a ideia de uma saída temporária da Grécia da zona euro.

“Relativamente à questão e saber se, para a Grécia, a melhor solução não seria sair do euro por um certo tempo – um 'timeout' -, 15 ministros das Finanças partilharam essa opinião. Só os ministros francês, italiano e cipriota não seguiram essa linha”, afirmou Wolfgang Schäuble, numa entrevista concedida ao Libération.

O ministro alemão explica que numa reunião do Eurogrupo a 11 de julho colocou essa possibilidade sobre a mesa porque sempre se interrogou, “como muitos economistas”, se não seria melhor para a Grécia, face à sua situação económica e à sua administração, abandonar a zona euro durante um certo tempo, “para se restabelecer no plano económico e melhorar a sua competitividade, antes de regressar”.

Recorde-se que o presidente da Comissão Europeia disse várias vezes estar convicto de que se deveria evitar uma saída da Grécia da zona euro.

O acordo entre a Grécia e o Eurogrupo foi alcançado a 13 de julho, depois de uma intensa madrugada de negociações.