Depois de alcançado o acordo, a chanceler alemã, Angela Merkel, considerou esta segunda-feira que o caminho da Grécia para o crescimento será "longo e difícil".

"A Grécia tem a oportunidade de retomar o caminho do crescimento, mas o caminho será longo e, a avaliar pelas negociações desta noite, difícil", disse em conferência de imprensa.


Merkel salientou ainda que os líderes da zona euro aprovaram "um pacote de reformas abrangente" que responde às necessidades gregas para lançar o crescimento.

O acordo com a Grécia inclui uma verba de 35 mil milhões de euros para ajudar a economia grega e um fundo com ativos gregos no valor de 50 mil milhões de euros para ser usado para abater à dívida e sobretudo para pagar o dinheiro que vier a ser usado na recapitalização dos bancos gregos.

Atenas vai ainda receber um empréstimo ponte, num montante a anunciar, para evitar que a Grécia falhe mais pagamentos, como o de 3,5 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu, no dia 20.

Depois do acordo hoje alcançado sobre um terceiro programa de ajuda à Grécia, o processo está agora do lado grego, uma vez que cabe ao Executivo liderado por Alexis Tsipras legislar sobre os assuntos acordados e levar ao parlamento para aprovar.

Os parceiros europeus querem que até quarta-feira sejam aprovadas no parlamento grego medidas como aumento do IVA, reforma do sistema de pensões ou legislação laboral.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, referiu em conferência de imprensa que "não há vencedores e vencidos, povo não foi humilhado".