O governo grego espera concluir as negociações com o Grupo de Bruxelas ainda este mês. A reunião dos líderes europeus, agendada para esta quinta e sexta-feira em Riga (Letónia), é vista como crucial para desbloquear o impasse entre Atenas e os credores internacionais.

O porta-voz do governo grego, Gabriel Sakellaridis, citado pelo The Guardian, admite que ainda existem quatro linhas vermelhas a ser negociadas, nomeadamente os cortes nas pensões, o plano de crescimento, a meta do excedente orçamental primário e a reestruturação da dívida.

Mas o Executivo de Tsipras acredita que as negociações vão ser concluídas já este mês. Ainda assim, Sakellaridis avisou que a Grécia não irira implementar uma solução “à Chipre”, ou seja, tomando medidas como a imputação de perdas aos depositantes dos bancos.

Na passada sexta-feira. Poul Thomsen, o responsável do Fundo Monetário Internacional do programa da Grécia, avisou que a instituição não vê grandes desenvolvimentos nas negociações gregas. E garantiu que não haverá qualquer financiamento para a Grécia até que a avaliação esteja completa. 

Começa a esgotar-se o tempo para os gregos. O último reembolso feito ao FMI veio de uma conta de emergência.