Cinco comboios regionais das linhas do Douro, Minho e Vouga e um de Sintra foram suprimidos entre as 00:00 e as 06:00 de hoje devido à greve dos ferroviários, disse à agência Lusa fonte da CP.

O pré-aviso de greve foi emitido a 17 de abril pelos sindicatos representativos dos trabalhadores da Refer, CP ¿ Comboios de Portugal, CP Carga e EMEF (Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário) em protesto contra as políticas do governo para o setor.

«Entre as 00:00 e as 06:00 de hoje nós [sindicato] temos cinco supressões nas linhas do Douro, Minho e Vouga, todos comboios regionais, porque não podem circular, porque não há guarnição da REFER», disse à agência Lusa a porta-voz da CP-Comboios de Portugal, Ana Portela.

A mesma responsável adiantou que em Lisboa houve, entre as 00:00 e as 06:00, apenas a supressão de um comboio na linha de Sintra devido à falta de pessoal da CP.

Ana Portela disse ainda não ter registo de mais complicações e remeteu para mais tarde dados atualizados sobre a greve de 24 horas.

Os trabalhadores contestam as políticas do Governo para o setor ferroviário, nomeadamente as concessões previstas na CP e a fusão entre a Refer e a Estradas de Portugal.

Contactado pela Lusa, o coordenador do Sindicato Nacional dos Trabalhadores Ferroviários (SNTF) e membro da direção da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), Abílio de Carvalho, disse que a «luta dos ferroviários está a ter um impacto favorável».

«Há muito trabalhadores em greve. Entre as 00:00 e as 06:00 verificámos supressões em alguns comboios, na EMEF a paralisação é da ordem do 100% e a CP carga ficou quase toda paralisada», disse.

De acordo com o sindicato, nas primeiras horas de greve registou-se uma paralisação quase total na CP-Carga, algumas supressões nos comboios e passageiros na CP e estações da REFER encerradas.