O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou esta quarta-feira que «há margem» para que os preços dos transportes públicos possam descer a partir de janeiro.

 

«Neste momento, a inflação tem sido negativa, portanto, se se mantiver esta tendência de inflação negativa em Portugal, os preços descerão em percentagem de inflação e para o futuro acontecerá a mesma coisa, uma vez que a taxa de inflação, que dita o aumento dos preços, tem mantido uma tendência negativa», afirmou Sérgio Monteiro.

 

Embora peça cautela nas expetativas quanto a esta matéria, o secretário de Estado admitiu que, «no limite, os preços podem descer em janeiro».

 

Em 2015, a decisão sobre os preços dos transportes ainda será do Estado. Desde 2012, que a política tarifária é ajustada à inflação, sendo que nalguns casos o mês de referência é outubro e, noutros, novembro.

 

Em novembro do ano passado, o Governo aprovou um aumento de 1% dos preços dos transportes a partir de janeiro deste ano e o alargamento da cobertura do passe Navegante Rede às deslocações ferroviárias entre as estações de Lisboa e Algés, Amadora e Bobadela.

 

No início de 2013, o preço dos transportes públicos registou um aumento médio de 0,9%, depois de aumentos de 4,5% (em janeiro de 2011, decidido ainda pelo governo de José Sócrates), de 15% (aumento extraordinário decidido pelo atual Governo em agosto de 2011) e de 5% (em 2012).