Dois em cada três pensionistas da Caixa Geral de Aposentações (CGA) chamados a apresentarem-se a uma junta médica em 2013 foram considerados aptos para trabalhar, segundo o Relatório e Contas da CGA, escreve a Lusa.

Reformas antecipadas com corte de 15%

De acordo com o documento, a que a agência Lusa teve acesso, durante o ano passado foram presentes a uma junta médica, para avaliação da incapacidade para o exercício de funções, um total de 5.400 funcionários públicos, tendo 66% sido consideradas aptas para trabalhar, num total de 3.578 pessoas.

O número de juntas médicas realizadas em 2013 subiu 24,5% face a 2012.

Em 2012, foram chamadas 4.895 pessoas que estavam de baixa, tendo as juntas médicas considerado que 3.252 pessoas estavam aptas para se apresentarem ao trabalho.

No ano anterior, em 2011, o cenário foi semelhante, com 4.338 funcionários chamados a apresentarem-se a uma junta médica e 2.876 a serem considerados aptos para exercerem funções.