A bolsa nacional abriu a perder 0,34%, mas no primeiro quarto de hora o desempenho do BCP permitiu que o índice de referência PSI20 passasse a terreno positivo, embora estando tremido na linha de água, valorizando 0,1%.

As ações do Millennium bcp subiam 1,1%, depois de o banco ter anunciado que apreciou positivamente a proposta da chinesa Fosun para tomar uma posição relevante no seu capital e que vai aprofundar as negociações.

Nos primeiros 15 minutos de negociação em bolsa, trocaram-se de mãos mais de 5 milhões de ações, cada uma a valer 0,018 euros, ainda abaixo dos dois cêntimos, portanto.

Foi a 30 de julho que o banco liderado por Nuno Amado recebeu uma carta da Fosun, com uma proposta firme para subscrever um aumento de capital reservado unicamente a si, a um preço não superior a 0,02 euros por acção, contra o fecho de 0,0202 euros desse dia.

Desta forma, a Fosun deteria inicialmente 16,7%, podendo subir, como propôs, a participação, através de operações em mercado secundário ou de aumentos de capital, para entre 20% a 30%, mediante condições.

De resto, na bolsa nacional ainda destaque para a Pharol, com os investidores a acolherem positivamente as 'pazes' feitas entre a empresa e a Societé Mondiale, ambas acionistas da Oi, que é o principal ativo da Pharol (antiga PT SGPS). Os títulos estão a subir 2,05% para 0,249 euros.

Na energia, sentimento misto: EDP sobe 0,278% oara 2,905 euros e a Galp Energia está a descer 1,1% para 12,16 euros.