Christine Lagarde assegura que não é candidata à presidência da Comissão Europeia. «Sobre essa questão da EU, eu não sou candidata. Tenho um trabalho, que considero muito importante, e tenciono terminar o meu mandato», disse a antiga ministra da Economia francesa à margem da apresentação de um relatório do FMI sobre a situação económica do Reino Unido.

O mandato de Christine Lagarde no FMI iniciou-se em julho de 2011 e termina em 2016.

As negociações para a escolha do sucessor de José Manuel Durão Barroso na Comissão Europeia têm sido marcadas por divergências entre líderes europeus, designadamente entre a chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, que na quinta-feira tiveram uma «discussão franca» à margem da cimeira do G-7 sobre a candidatura de Jean-Claude Juncker.

Após as eleições para o Parlamento Europeu, Cameron opôs-se à designação de Juncker, candidato do Partido Popular Europeu, o mais votado nas eleições, por receio de que torne a UE mais federalista.

Merkel, membro do PPE, manifestou que apoia o ex-primeiro-ministro luxemburguês. No entanto, sublinhou que privilegia uma solução de consenso e que a posição do Reino Unido deve ser ouvida.

Os chefes de Estado e de Governo da UE devem propor um nome para o cargo na cimeira europeia que se realiza a 26 e 27 de junho em Bruxelas.

O Parlamento Europeu deverá pronunciar-se sobre esse nome numa sessão plenária prevista para meados de julho em Estrasburgo.