Quatrocentas mil empresas receberam alertas do fisco para confirmarem e corrigirem os dados de IRS dos funcionários.

 

A autoridade tributária quer evitar casos em que o desconto mensal dos contribuintes seja inferior ao obrigatório.

 

Se a sua situação familiar mudou e não avisou a empresa onde trabalha, pode vir a sofrer correcões nos descontos de IRS feitos desde janeiro.

 

O objetivo da autoridade tributária é evitar os casos em que os contribuintes estão a descontar menos do que deviam.

 

Segundo o «Diário do Notícias», o fisco enviou avisos a cerca de 400 mil empresas para que atualizem os dados dos trabalhadores e confirmem se a taxa de retenção aplicada é a certa.

 

A percentagem do salário que cada trabalhador desconta todos os meses depende do número de dependentes que podem deixar de o ser com a idade.

 

Um filho com mais de 25 anos, por exemplo,já não conta para efeitos fiscais.

 

Outro exemplo: o estado civil. A taxa de retenção para os casados é mais alta do que a dos solteiros.

 

E com a reforma do IRS, há uma nova regra: só é possível um dos membros do casal assumir-se como único titular de rendimentos enquanto o outro estiver desempregado. Se, entretanto, encontrar trabalho, a taxa muda para os dois.

 

Contactato pela TVI, o Ministério das Finanças explica que nesta fase pretende-se que as empresas procedam a regularizacão voluntária das divergências detetadas e corrijam as retenções na fonte tendo em conta a informação atualizada dos funcionários.

 

Mas também fica o aviso. Se não houver correção, a tutela vai continuar com as diligências.

 

A multa por esta infração fiscal pode chegar aos 22 mil e 500 euros.