As formações para executivos de quatro escolas de negócios de universidades portuguesas foram distinguidas no ‘ranking’ do jornal britânico Financial Times, que coloca a Católica Lisbon e a Nova SBE entre as 50 melhores do mundo.

No ‘ranking’ que combina as avaliações obtidas nos dois tipos de programas de formação analisados – programas abertos e programas feitos à medida para as empresas – a Católica Lisbon Shool of Business and Economics surge na 40.ª posição e a Nova School of Business and Economics (SBE) fecha a lista, no 50.º lugar.

Numa análise separada, é na tabela dos programas de formação abertos que surgem mais escolas portuguesas: para além da Católica Lisbon em 50.º lugar, e da Nova SBE em 57.º, aparecem ainda a Porto Business School no 69.º posto e a ISCTE Business School a fechar este ‘ranking’, no 80.º lugar.

Nas formações feitas à medida, que elenca 90 escolas de todo o mundo, surgem apenas três portuguesas, com a Católica Lisbon a ser a melhor classificada nesta tabela, em 42.º lugar, seguindo-se a Nova SBE em 62.º e a Porto Business School em 75.º lugar.

Em comunicado, a Católica Lisbon destacou o facto de esta ser a sua 12.ª aparição consecutiva na lista de melhores escolas do Financial Times.

Nuno Fernandes, diretor da Católica Lisbon, citado pelo comunicado destaca que a classificação da instituição “muito se deve ao acumular de experiência, qualidade e de competências necessárias para responder a projetos ambiciosos como são aqueles que os profissionais e empresas hoje exigem”.

A escola do Porto, também em comunicado, afirma que “estes resultados confirmam o caminho que a Porto Business School tem vindo a percorrer, primando pela qualidade da sua oferta formativa, pela sua forte proximidade ao tecido empresarial, mas também pelas parcerias internacionais que tem vindo a desenvolver, como é o caso da colaboração com o IMD e a London Business School na formação para executivos”.

"A presença contínua da NovaSBE reforça o nosso progresso e a nossa marca junto dos nossos pares globais e, principalmente, permite-nos estimular ainda mais o nosso mercado, no qual as necessidades de formação e desenvolvimento são muito significativas" considerou ainda o diretor executivo da Nova SBE Executive Education, Luís Rodrigues, também citado num comunicado.

Em termos globais, o ‘ranking’ combinado é liderado pela espanhola IESE, seguindo-se em 2.º lugar a IMD (Suiça/Singapura) e a Insead (França/Singapura/Emirados Árabes Unidos).

Na tabela dos rankings dos programas de formação feitos à medida a IESE mantém a liderança, seguindo-se a Duke Educate Corporation (EUA/Reino Unido/África do Sul/Singapura) e a IMD (Suiça/Singapura).

Nos programas de formação abertos a liderança foi entregue à IMD, seguindo-se a Saïd Business School da britânica Universidade de Oxford e a espanhola IESE.

O ‘ranking’ do Financial Times analisa as instituições de ensino a partir de informação recolhida junto de alunos, direções das escolas e empresas relativamente a critérios predefinidos.