O primeiro-ministro já o tinha dito e a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, voltou a reiterar que Portugal não vai voltar ao nível de salários e pensões que existia em 2011. «Não há milgares», disse a governante, sublinhando, com ironia, que Portugal não encontrou petróleo.

«Para baixar a taxa [de IRS] não é preciso uma comissão»

«A normalidade significa que temos medidas temporárias e que deverão deixar de existir, mas temos de manter a restrição ao montante que pode ser gasto em salários e afecto a pensões», reiterou a governante, respondendo às perguntas dos deputados na Comissão de Orçamento e Finanças.

Estado não vai gastar excedente da ADSE noutras despesas

Segundo a ministra das Finanças, o voltar à normalidade, para os trabalhadores, é voltar a haver expetativas de progressão na carreira, «em que gradualmente chegaremos de novo aos níveis de crescimento que existiam», referiu, ressalvando que, assim como a crise não acontece de um dia para o outro, a recuperação também não é instantânea.