O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, disse esta segunda-feira que a Grécia deve cumprir as reformas económicas seja qual for o resultado das eleições antecipadas marcadas para 25 de janeiro.

«Estas novas reformas podem produzir resultados, eles não têm alternativa», disse Schaeuble, através de um comunicado difundido hoje em Berlim, acrescentando que «as novas eleições não alteram nada sobre os acordos com o Governo grego» no quadro do resgate financeiro internacional.

As eleições legislativas gregas foram antecipadas para o próximo dia 25 de janeiro após a derrota parlamentar para escolha do candidato presidencial proposto pelo governo de coligação (Nova Democracia e PASOK) liderado por Andonis Samaras.

Entretanto, o Fundo Monetário Internacional anunciou em Washington que suspende a ajuda à Grécia até à formação do novo governo.

«Negociações com as autoridades gregas sobre a sexta tranche do programa de ajuda … só vão ser concluídas após a tomada de posse do novo governo», disse em Washington o porta-voz do FMI, Gerry Rice.

O mesmo responsável disse ainda que o FMI já consultou a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu.
A próxima avaliação da troika estava marcada para meados de janeiro.