A 19ª edição do salão alimentar SISAB estreia-se, segunda-feira, em Lisboa, com o espaço expositivo esgotado e mais de 1.600 compradores estrangeiros, com China, países árabes, Brasil e Américas a duplicarem a presença.

O evento, que cresceu este ano «até ao limite da capacidade», segundo o diretor da feira, Carlos Morais, terá cerca de 500 empresas portuguesas de 28 setores de alimentação e bebidas a mostrar os seus produtos a profissionais provenientes de mais de 110 países.

O responsável do SISAB (Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebida) sublinhou que foram recusadas mais de 170 empresas, porque o salão aposta apenas em produtos 100% nacionais, e destacou a importância da feira na abertura de novos mercados para exportação.

Carlos Morais adiantou que «duplicaram o número de participantes» provenientes da China, países árabes e Magrebe, Brasil e países da América do Norte e Latina, assinalando ainda a presença de elevado número de importadores da «diáspora e dos PALOP» (países de língua oficial portuguesa), registando-se um aumento de mais de 30% nas inscrições.

«60% dos compradores internacionais são novos e entre estes mais de 80% estão pela primeira vez em Portugal», acrescentou.

Do lado da oferta, o destaque vai para o aumento da presença de produtos congelados e pré-preparados, bem como o vinho, o azeite e a carne.

O SISAB, que se apresenta como «a maior plataforma de negócios a nível mundial de produtos do agroalimentar exclusivamente portugueses», termina na quarta-feira e inclui provas, degustações e espetáculos musicais para todos os participantes no Pavilhão Atlântico.