A adesão à greve de 24 horas dos trabalhadores da rodoviária de Lisboa Carris contra a subconcessão da transportadora era de 80% esta manhã, adiantou à TVI Manuel Leal, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.

“A greve iniciou-se com o serviço da madrugada, que paralisou praticamente a 100%”, disse o responsável.

A Carris disse à Lusa que teve a circular entre as 22:00 de quarta-feira e as 06:30, 151 dos 491 autocarros programados, o que representa 31% da oferta. A empresa garante que os serviços mínimos decretados pelo tribunal arbitral estão a ser  "integralmente cumpridos”.

Cerca de uma centena de trabalhadores da Carris participou, entre a Estação de Santo Amaro, em Alcântara, Lisboa, e a Assembleia da República, numa marcha de protesto contra a subconcessão da transportadora.

Gritando palavras de ordem como “governo escuta, a Carris está em luta” ou “Carris unida jamais será vencida” e, ainda, “está na hora de o Governo ir embora”, os manifestantes chegaram à Assembleia da Republica cerca das 09:15, para entregar aos grupos parlamentares e à presidente do Parlamento a análise do caderno de encargos de subconcessão efetuada pelos sindicatos.

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos - trabalhador da Carris há 41 anos -, juntou-se à manifestação, explicando em declarações à agência Lusa que esta “é uma luta de todos, não só dos trabalhadores da Carris, mas de todos os cidadãos de Lisboa”.

Os serviços mínimos obrigam à circulação de 50% de 11 carreiras, mas ainda assim a greve de 24 horas dos trabalhadores da Carris está a perturbar o serviço.

Em funcionamento estão as carreiras 703 (Charneca do Lumiar - bairro de Santa Cruz), a 708 (Parque das Nações – Martim Moniz), a 735 (Cais do Sodré – Hospital de Santa Maria), a 736 (Cais do Sodré – Odivelas) e a 738 (Quinta Barros – Alto de Sto. Amaro). 

Também é considerado como serviço mínimo o funcionamento de 50% das carreiras 742 (Casalinho da Ajuda – Bairro da Madre de Deus), 751 (Linda-a-Velha - Estação de Campolide), 755 (Poço do Bispo – Sete Rios), 758 (Cais do Sodré – Portas de Benfica), 760 (Cemitério da Ajuda – Gomes Freire) e 767 (Mártires da Pátria – Estação da Damaia). 

Em total funcionamento estará o serviço de transporte exclusivo de pessoas com mobilidade reduzida.