O crédito concedido a famílias e empresas aumentou 24,9% no terceiro trimestre do ano, em relação ao período homólogo.

Os dados são da Associação de Instituições de Crédito Especializado, que sublinha o montante global correspondente a 1.239 milhões de euros. Segundo a associação, o aumento deve-se à subida do nível de confiança das famílias,« que se refletiu, por sua vez, num maior número de pedidos e concessão de crédito».

O crédito ao consumo aumentou 17,2%, para os 665 milhões de euros, enquanto no crédito às empresas foram concedidos 575 milhões de euros, a maioria na forma de crédito a fornecedores, o que representa uma subida de 15,8%.

O crédito ao consumo divide-se em crédito clássico a particulares, que cresceu 28,1%, e o crédito revolving, cujo aumento foi de 7,6% em relação ao terceiro trimestre de 2013.

Do lado do investimento (crédito às empresas), foram registaram subidas homólogas do crédito stock de 36,5%, atingindo o valor de 551 milhões de euros, e do crédito clássico concedido a empresas de 12,7%, para os 23 milhões de euros.

O crédito concedido a particulares representa 92,6% do total do crédito clássico, enquanto o crédito concedido a empresas situa-se nos 7,4%, sendo que o total do crédito clássico equivale a 27,6% do total do crédito concedido. O crédito revolving tem um peso de 26,1% e o crédito a fornecedores os restantes 46,3%.

O crédito clássico foi, na sua maioria, direcionado para a aquisição de meios de transporte, com 70,2% do total do crédito concedido, seguindo-se o crédito pessoal com 17,5%. O crédito concedido para aquisição de meio de transporte subiu 27,9% e o crédito pessoal cresceu 38,4% em comparação com o período homólogo.