Os trabalhadoras da antiga fábrica da Triumph, em Sacavém, Loures, decidiram hoje abrir uma conta solidária para apoiar os casos mais urgentes, no dia em que souberam da nomeação de uma administradora de insolvência que irá avaliar a situação da empresa.

Depois de uma concentração, durante a manhã, junto ao Palácio de Belém, as trabalhadoras da antiga Triumph reuniram-se em plenário e aprovaram a criação de uma conta bancária solidária para apoiar as funcionárias que não recebem salário há quase dois meses.

Amanhã já teremos o número da conta onde poderão ser depositados os donativos para apoiar as trabalhadoras que estão sem receber há 55 dias, e que também não receberam o subsídio de Natal", disse à agência Lusa Mónica Antunes, dirigente do sindicato dos têxteis do Sul.

Segundo a sindicalista, foi hoje nomeada uma administradora de insolvência, que irá analisar a situação da fábrica para saber se decreta a sua insolvência ou não.

As trabalhadoras vão dar uma conferência de imprensa na terça-feira de manhã, junto à empresa, que contará com a participação do presidente da Câmara Municipal de Loures.

As trabalhadoras da fábrica da antiga Triumph estão desde o dia 5 de janeiro em vigília à porta da empresa, depois de terem tomado conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência.

Na quinta-feira, as trabalhadoras manifestaram-se à porta da Presidência do Conselho de Ministros, onde apelaram ao Governo para intervir no processo, de forma a evitar o encerramento da fábrica de roupa feminina.

A fábrica da antiga Triumph, situada na freguesia de Sacavém, concelho de Loures, foi adquirida no início de 2017 pela TGI-Gramax e emprega atualmente 463 trabalhadores.