A fábrica de automóveis da Autoeuropa em Palmela "está completamente paralisada em todas as seções" devido à greve que decorre hoje até ao final do dia contra o trabalho obrigatório ao sábado, disse à agência Lusa fonte sindical.

"Tal como prevíamos, está a haver uma forte adesão à greve. Isto prova que os trabalhadores se identificam com os motivos que levaram a esta paralisação", disse Eduardo Florindo, do Sitesul, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul.

"Há centenas de trabalhadores em greve que estão concentrados aqui à entrada da empresa", acrescentou Eduardo Florindo, salientando quer os sindicatos continuam a aguardar por uma resposta ao pedido de reunião que fizeram à administração da Autoeuropa.

A jornalista da TVI no local confirmou isso mesmo. Muitos trabalhadores à porta da empresa e uma grande movimentação.

Os trabalhadores da Autoeuropa iniciaram esta quarta-feira de manhã o segundo turno de greve contra os novos horários de trabalho que implicam os sábados que A paralisação teve início às 23:30 de terça-feira e termina às 00:00 de quinta-feira. Os cerca de 3.000 trabalhadores que participaram nos plenários realizados na segunda-feira aprovaram uma resolução a confirmar a rejeição dos novos horários.

A administração da fabricante automóvel só vai pronunciar-se depois do fim da greve.

A Autoeuropa é uma das grandes empregadoras nacionais. Atualmente a multinacional alemã empresa mais de 3.500 trabalhadores.