Principais mudanças na contabilização do défice e da dívida que ocorrem com o novo sistema europeu de contas:

A despesa com equipamento militar deixa de ser considerada consumo intermédio e passa a ser inscrita como investimento.

Passará a ser incluída nas contas públicas uma maior variedade de derivados financeiros.

Será incluída uma tabela anexa para registar todas as responsabilidades como os esquemas de pensões, estejam ou não financiadas.

As imparidades dos veículos especiais de investimento passarão a estar refletidas nas contas públicas.

As regras para as transferências dos governos para as empresas públicas, e para os veículos especiais de investimento, para melhorar o registo nas contas públicas de itens que possam afetar de forma significativa a dívida pública.

As garantias bancárias dadas pelos governos, para casos como as cartas de crédito ou de empréstimos estudantis, têm de ser registados os ativos financeiros e as imparidades caso seja provável que a garantia seja executada.