A produção industrial subiu em abril, em 1,1% na zona euro e em 1,3% na Europa a 28.

De acordo com o gabinete de estatística da Comissão Europeia, em março o indicador tinha caído, tanto na zona do euro, em 0,7%, como no conjunto dos 28, em 0,5%.

O Eurostat refere que este crescimento, na comparação mensal para a zona euro, se deve sobretudo à produção de bens de consumo duradouros, que subiram 2,3%; bens de capital, que cresceram 1,9%; bens não duradouros, em alta de 1,6%; intermediários, com um aumento de 0,4%; e energia, a subir 0,3%.

No caso dos 28 Estados-Membros, o Eurostat fala das ajudas mensais da produção de bens de consumo não duradouros (2,3%), duradouros (1,9%), de capital (1,7%), energia (0,5%) e bens intermédios (0,4%).

Portugal destaca-se acima da média, e vem longo depois da Irlanda nas maiores subidas da produção industrial, em 6,4%.

Em termos homólogos, na comparação com abril de 2015, a subida foi de 2% para a zona euro e de 2,5% para os 28 membros.