A economia portuguesa cresceu acima da média da zona euro e da União Europeia (UE) no quarto trimestre de 2013, na comparação com o mesmo período de 2012, mas fica fora da tabela das melhores prestações, revela hoje o Eurostat.

Segundo as primeiras estimativas do gabinete de estatísticas da União Europeia (UE), o Produto Interno Bruto (PIB) português cresceu 1,6% de outro a dezembro de 2013, comparando com o mesmo período do ano anterior, acima dos 0,5% da zona euro e dos 0,1% da UE.

No entanto, as maiores subidas foram verificadas na Roménia (5,1%), Letónia (3,3%) e Lituânia (3,3%).

As principais quebras, ainda na comparação homóloga, registaram-se em Chipre (-5,3%), na Grécia (-2,6) e na Finlândia (-1,7%).

Já na comparação com o trimestre anterior, o PIB português subiu - de outubro a dezembro - 0,5%.

A Roménia (1,7%), a República Checa (1,6%) e a Lituânia (1,2%) registaram as maiores subidas, enquanto as principais quebras tiveram lugar em Chipre (-1,0%), na Finlândia (-0,8%) e na Estónia (-0,1%).

Nesta primeira estimativa, o Eurostat só em dados relativos a 21 Estados-membros.