O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, adiantou esta terça-feira que a saída de Portugal do programa de assistência vai começar a ser discutida pelos ministros europeus na reunião informal marcada para abril, que decorrerá em Atenas.

As palavras do holandês foram proferidas durante uma conferência de imprensa, após uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro alargada ao Parlamento Europeu, para discutir o acordo intergovernamental sobre o fundo único de resolução, que integra o processo de união bancária.

Na conferência de imprensa, Dijsselbloem, o comissário dos Assuntos Económicos, Olli Rehn, e o diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, elogiaram os resultados da 11.ª avaliação da troika ao programa de assistência português.

«O programa está a correr bem, as perspetivas económicas estão ainda melhores que o previsto e estamos satisfeitos com os esforços do Governo para aceder aos mercados. Começaremos a discutir a saída do programa em abril e depois no início de maio», afirmou.

Os ministros das Finanças da zona euro reúnem-se em Atenas, capital da Grécia (que tem a presidência da União Europeia), no início de abril e depois a 05 de maio, naquele que deverá ser o último encontro antes da data de conclusão oficial do programa, 17 de maio.