As declarações dos intervenientes na reunião do Eurogrupo não são simpáticas para a Grécia. Depois de mais um encontro sem acordo, Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, admitiu que o mais importante é "retomar o diálogo com adultos na sala", depois de ter apelado à Grécia para que apresente "propostas palpáveis e credíveis".

Para Lagarde é importante não perder o foco no essencial: "Quanto menor o ajuste grego, mais financiamento será necessário para a Grécia”. Isto numa altura em que Atenas arrisca não conseguir pagar as prestações que deve aos credores.

E é a proximidade do fim do prazo que levou a que Maria Luís Albuquerque, ministra das finanças portuguesa, tenha admitido que o tom da reunião tenha sido "tenso" e o próprio presidente do Eurogrupo sublinhou que a palavra "urgência" foi das mais repetidas durante o encontro com os ministros das finanças da zona euro.