O ministro das Finanças alemão acredita que as reformas e os cortes orçamentais aplicados eplos países europeus desde que a crise da dívida rebentou estão a começar a surtir efeitos.

Num artigo publicado na revista alemã «Focus», o ministro considera que, «com a crise, a Europa cerrou fileiras e vai continuar a fazê-lo», até porque, considera, «a crise ainda não acabou».

«As reformas e os esforços de consolidação orçamental começam a surtir efeito», sublinha, acrescentando que o défice orçamental médio na Zona Euro caiu quase para metade desde 2010. Uma correção dos desequilíbrios macroeconómicos que está a ser conseguida ao mesmo tempo que se criam condições para que os países europeus sejam mais competitivos.

Wolfgang Schauble repete que a Grécia poderá precisar de nova ajuda, reiterando também que isso não incluirá um novo processo de perdão de dívida, até porque isso, a acontecer, corria o risco de voltar a lançar o pânico nos mercados.

«Quem queria ficar rico apostando contra o euro e espalhando o pânico, fez uma aposta completamente errada», disse, acrescentando que «a união monetária não vai desmoronar-se; pelo contrário».