Os jovens entre os 12 e os 18 anos «não são capazes de gerir as suas finanças, não possuem hábitos de poupança, nem estão familiarizados com a linguagem financeira», conclui um estudo da Universidade Portucalense (UPT), divulgado esta terça-feira.

Em comunicado, a UPT afirma que o estudo, que analisou 136 alunos do 3.º ciclo e do secundário, no ano letivo de 2012/2013, conclui que «os adolescentes são incapazes de gerir as duas finanças pessoais» e defende que, «para se criar uma educação financeira eficaz, é necessário aproximar os pais da escola».

A autora do estudo, Eugénia Ribeiro defende ainda que, é preciso que o papel da escola passe por «disponibilizar conceitos, como custos, poupança, características de um bom empreendedor» e alargar também às «rotinas familiares».

O estudo foi realizado através de inquéritos, sendo a amostra constituída por 55% de estudantes raparigas.

Dos 136 alunos inquiridos, 17,6% pertenciam ao 7.º ano de escolaridade, 14,7% ao 8.º ano, 17,6% ao 9.º, 13,2% ao 10.º ano, 19,9% ao 11.º e 16,9% ao 12.º ano.

A autora do estudo entende ainda que «para que a educação vá em frente é preciso torná-la obrigatória e a forma mais segura de garantir que esse conhecimento seja transmitido é a sua inclusão no currículo escolar».