O Banco Central Europeu (BCE) considera que são necessárias novas reformas na zona euro para apoiar o crescimento potencial e compensar o efeito do envelhecimento da população.

No boletim mensal de novembro, publicado hoje, o BCE defende que ainda que seja «demasiado cedo para comprovar os efeitos das reformas estruturais adotadas desde o início da crise, é necessário pôr em andamento novas reformas para apoiar o crescimento potencial».

Estas reformas ajudarão a compensar «o impacto negativo que se prevê que tenha o envelhecimento da população sobre o crescimento potencial no futuro próximo», refere ainda o BCE.

«A relação entre atividade e inflação passou a ser mais ténue nos últimos anos, tendo em conta tanto os desvios do produto potencial como as medidas económicas alternativas».

O BCE sublinha que «a rigidez estrutural que ainda persiste» em vários setores na zona euro é um dos fatores que explicam este fenómeno, «ainda que a fixação das expectativas da inflação também poderia explicar o comportamento dos preços e dos salários durante a crise».