A administração dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo encaixou mais de 50 mil euros nos cinco leilões que realizou esta terça-feira para a venda de diverso material, revelou à Lusa fonte da empresa pública.

De acordo com a mesma fonte, as propostas apresentados nos cinco procedimentos, por diversas empresas e particulares, totalizaram um valor global de 50.609 mil euros.

A empresa colocou à venda diverso material, como uma viatura, uma zorra hidráulica com capacidade para 200 toneladas e cerca de 170 peças de mobiliário, entre outros.

De acordo com a fonte dos ENVC, a administração prevê ainda realizar «aproximadamente» mais 20 destes procedimentos.

Até agora, segundo dados avançados pelos ENVC, os mais de 105 leilões realizados representaram um encaixe financeiro de 10,9 milhões de euros, incluindo a venda do navio Atlântida.

Até este momento, o valor das vendas do material que não foi incluído no concurso de subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos ENVC ao grupo Martifer, totalizou 2,1 milhões de euros.

De acordo com a fonte da empresa pública, atualmente em processo de liquidação, dos 20 mil itens (bens móveis da empresa pública) que ficaram fora do concurso da subconcessão ao grupo Martifer «já foram vendidos 95% através de mais de105 procedimentos por venda/leilão, restando cerca de 1.000 itens».

Estes procedimentos são assegurados por cerca de 40 trabalhadores que continuam ao serviço dos ENVC.
A West Sea, empresa criada pela Martifer para gerir a subconcessão dos ENVC, assumiu a subconcessão dos terrenos e infraestruturas da empresa pública no passado dia 02 de maio e já contratou cerca de 100 antigos funcionários da empresa pública.

Em outubro passado, o ferryboat Atlântida deu entrada nos estaleiros da West para obras de reconversão em navio de cruzeiro de luxo orçadas em seis milhões de euros.