A Croácia, que na segunda-feira integrará a União Europeia (UE), tem uma taxa de desemprego de 18,1%, a terceira mais alta entre os Estados-membros, e um poder de compra 39% abaixo da média europeia.

De acordo com dados divulgados pelo Eurostat a propósito da adesão da Croácia à UE, a taxa de desemprego atingiu, em abril, os 18,1%, um valor superior à média europeia a 28 Estados-membros (11,1%) e o terceiro mais alto, depois de Espanha (26,8%) e da Grécia (27%), numa tabela em que Portugal ocupa a quarta posição (17,8%).

A taxa de desemprego entre os jovens (menos de 25 anos) fixou-se, em abril, nos 51,8%, também acima da média europeia (23,7%).

Os dados do gabinete oficial de estatísticas comunitárias indicam também que, em 2012, o poder de compra dos croatas era 39% inferior à média dos restantes países da UE, existindo apenas dois países onde os cidadãos eram, em média, mais pobres do que na Croácia: a Roménia e a Bulgária.

No que respeita ao Produto Interno Bruto (PIB), a economia croata encolheu dois por cento em 2012.

A Croácia, que será o 28.º Estado-membro da UE, tinha, a 01 de janeiro de 2012, 4,4 milhões de habitantes.