A Autoridade Europeia de Valores Mobiliários (ESMA em inglês) repreendeu hoje a Standard & Poors por ter comunicado por erro a queda do rating de França em novembro de 2011.

Segundo disse a ESMA em comunicado, «o incidente não foi um erro tecnológico isolado e acidental, mas o resultado de uma série de deficiências» que mostram que a S&P tem falhas nos mecanismos de controlo interno e processamento de informação, tomada de decisão e estruturas organizacionais.

No entanto, segundo o supervisor, a investigação feita comprovou que não houve «nem negligência nem intencionalidade», pelo que não pode multar a empresa norte-americana.

Em novembro de 2011, a S&P enviou por correio eletrónico um alerta a 468 subscritores a dar conta, erradamente, da queda do rating da França, então em triplo A (¿AAA¿), que acabou por não concretizar.

Já na altura a Comissão Europeia considerou um «incidente grave» o que aconteceu e reafirmou a «convicção» de Bruxelas de que são necessárias regras mais estritas para as empresas de rating.

A ESMA é, desde julho de 2011, a entidade europeia encarregada de regular e supervisionar o funcionamento das agências de rating que operam dentro da União Europeia e com a decisão comunicada hoje lança a sua primeira sanção desde que lhe deram essa competência, em 2012.