A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aplicou uma coima de 50.000 euros à Goldenergy por falhas no atendimento comercial, exigindo que o comercializador de eletricidade e de gás implemente medidas corretivas.

Em comunicado, o regulador do setor energético explica que decidiu aplicar à Goldenergy uma coima de 50.000 euros por incumprimento dos níveis mínimos de atendimento comercial, realçando que “existem obrigações de prestação de informação e de atendimento que os comercializadores devem respeitar e cumprir para com os seus clientes”.

Neste contexto, a ERSE exige que este comercializador de gás e eletricidade no mercado liberalizado adote as medidas que visem assegurar um serviço de atendimento telefónico corretamente dimensionado, estando obrigado a comunicar ao regulador mensalmente as medidas adotadas.

A liberalização do mercado retalhista de energia permite aos consumidores de eletricidade e de gás natural escolher livremente o seu comercializador e a estes diferenciar a sua oferta comercial, de forma a melhor a ajustar às necessidades dos consumidores.

Neste contexto, o organismo liderado por Vítor Santos efetua uma monitorização contínua da atividade do mercado retalhista e aprecia reclamações e denúncias que lhe são dirigidas, relativamente a agentes que atuam em atividades no âmbito dos setores da eletricidade e do gás natural.

Em 2015 a ERSE recebeu um conjunto de reclamações de consumidores relativamente ao comercializador Goldenergy que evidenciam a prestação do serviço de atendimento comercial a clientes em condições que os impede de ver assegurado um nível mínimo de acesso à informação que lhes diz respeito.

A Lusa tentou, sem sucesso, contactar a Goldenergy para obter um comentário sobre a coima aplicada.