A assistência técnica a avarias no fornecimento de eletricidade registou em 2014 "um aumento do número de incumprimentos" mas que foi corrigido pelo pagamento das compensações e pelo tempo médio de chegada ao local, refere um relatório da ERSE divulgado esta segunda-feira.

O Relatório da Qualidade de Serviço do Setor Elétrico de 2014, publicado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), indica que em termos de leituras de contadores e deslocações às instalações dos clientes, a maioria dos operadores no mercado cumpriu os requisitos mínimos, com a exceção da EDP Distribuição, que atingiu 87% de percentagem de leituras com intervalo face à leitura anterior até 96 dias. O mínimo exigido pela ERSE para este indicador é de 92%.

O regulador da energia diz que o número de leituras efetuadas "aumentou de 30,8 milhões em 2013 para 36,5 milhões em 2014", correspondente a um crescimento de 18%, se bem que o número de estimativas também aumentou, mas em 7%.

Quanto ao serviço de restabelecimento de eletricidade após interrupção por facto imputável ao consumidor, como por exemplo a falta de pagamento de faturas, a EDP Distribuição, empresa responsável pela rede de baixa tensão no continente, teve 14.185 incumprimentos, sendo que desses, pagou indemnizações a 3.837 clientes.

Em termos globais, segundo o relatório, o número de incumprimentos nesta área "aumentou de 3,5 para 42 por cada mil restabelecimento", sendo a EDP Distribuição a que tem maior número de incumprimentos.

"A EDP Serviço Universal e a EDP Comercial destacam-se das restantes empresas por apresentarem valores bastante mais elevados de restabelecimentos por cliente", adianta também a ERSE.

Em caso de interrupção de fornecimento de eletricidade por culpa dos clientes, as empresas têm doze horas para repor o serviço no caso de clientes de baixa tensão, oito horas para os restantes clientes e quatro horas para o consumidor que pague o serviço de restabelecimento urgente. Esta contagem suspende-se entre as 24H00 e as 8H00.

Caso o operador não cumpra estas regras, "confere ao cliente o direito de compensação no valor de 20 euros", adianta a ERSE.

A Galp e a Iberdrola foram os comercializadores de eletricidade que, em 2014, lideraram os incumprimentos dos prazos e o não pagamento de compensações aos clientes.