O presidente do Conselho de Administração da angolana Sonangol disse esta segunda-feira que as participações nos grupos de origem portuguesa Millennium BCP e Galp são "estratégicas" e para manter, apesar da contenção financeira na petrolífera estatal.

Francisco de Lemos José Maria falava em conferência de imprensa, em Luanda, negando a alegada "bancarrota" da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), transmitida por "artigos de opinião" e notícias nas últimas semanas, dando conta também do desinvestimento nestas duas empresas.