O Governo espanhol prevê poupar 1.500 milhões de euros com a eliminação de 708 empresas públicas, um valor maior do que as 515 inicialmente previstas, revelou esta terça-feira a vice-presidente do Executivo espanhol.

Soraya Sáenz de Santamaría, que falava em Madrid, destacou a necessidade de a reforma servir também para determinar a forma como a administração pública trabalha, evitando em tempos de bonança repetir a situação atual.

Para isso, afirmou, vai ser implementada «uma nova lei de regime jurídico das administrações públicas» para estabelecer um «sistema muito rigoroso para a criação de organismos públicos por qualquer administração», cita a Lusa.

Sáenz de Santamaría falava na inauguração de um debate organizado pela Associação para o Progresso da Direção (APD) e pela Deloitte sobre as «Reformas e eficiências do setor público».