O concelho de Vila de Rei vai ter, em cinco anos, três novas infraestruturas de assistência social e de saúde, um investimento entre cinco e seis milhões de euros que vai permitir criar 103 postos de trabalho.

O projeto, privado, prevê a construção de uma unidade de cuidados continuados de saúde mental, com capacidade para 32 utentes, um centro de atividades ocupacionais, para 50 utentes, e um lar residencial com capacidade para acolher 48 pessoas com deficiência.

A proposta de protocolo de parceria entre a autarquia, que cede o terreno para a instalação dos equipamentos, e a Cercicop, Cooperativa de Solidariedade Social, com sede em Sintra e que trabalha na área da dependência ou incapacidade, já foi aprovada pelas duas entidades, disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Vila de Rei, Ricardo Aires (PSD).

«É um projeto extremamente importante para a economia local, pelo dinamismo que acresce ao concelho e pelo reforço do papel do concelho de Vila de Rei no que respeita à sua especialização na área social, mas, e sobretudo, pela criação de postos de emprego, muitos deles qualificados», destacou o autarca.

O projeto global fixa o início da construção no prazo de dois anos e a conclusão do mesmo num prazo de cinco anos. A unidade de cuidados continuados de saúde mental irá criar 48 postos de trabalho, o centro de atividades ocupacionais 18 e o lar residencial 37.

A construção destes equipamentos vai decorrer no Loteamento do Vale Galego, em terreno cedido pela autarquia, com uma área total de aproximadamente 8.000 metros quadrados, enquanto a área bruta de construção atingirá os 6.100 metros quadrados.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da direção da Cercicop destacou a «carência de resposta em relação às necessidades», em termos de equipamentos, e a «necessidade da criação de 1.100 vagas no concelho de Sintra», no espaço temporal de uma década.

José António Bourbon, que situou o investimento entre «cinco a seis milhões de euros», destacou a possibilidade de «transferir alguns jovens portadores de deficiência profunda, ou sem familiares, para zonas do interior do país, uma forma de abrir vagas para a população de Sintra».

Situado no centro geodésico de Portugal, o município de Vila de Rei é habitado por 3.452 pessoas, segundo os Censos de 2011 do Instituto Nacional de Estatística, e tem apostado estrategicamente na prestação de cuidados assistenciais a idosos para o fomento da empregabilidade e captação de habitantes/residentes.

Atualmente, no concelho de Vila de Rei, estão a funcionar seis lares para prestação de cuidados permanentes a idosos, uma unidade de cuidados continuados e a Fundação João e Fernanda Garcia, que presta apoio social para pessoas com deficiência, o que resulta em 400 postos de trabalho diretos na prestação de cuidados de saúde.