Duas unidades ligadas ao setor automóvel e à metalomecânica vão criar este ano, em Valença, cerca de 200 postos de trabalho através de investimentos já em curso, disse hoje à Lusa o autarca local, Jorge Mendes.

Um desses investimentos, de um grupo que se dedica à produção de cablagens para o setor automóvel, levou à implementação de uma nave industrial de 5.000 metros quadrados (m2) na zona industrial de Valença.

«Está a funcionar, ainda parcialmente, há cerca de uma semana, representando 120 postos de trabalho. Mas, pelo que sabemos, até estão a ter algumas dificuldades em arranjar mão-de-obra para o setor de produção», explicou Jorge Mendes.

Trata-se de uma multinacional espanhola, com atividade também em Porriño, na Galiza.

Este processo de expansão resulta de uma negociação com a autarquia em 2013, face ao «excedente de procura» que a empresa regista, necessitando por isso de aumentar a produção a partir de Valença.

Ainda de acordo com o presidente da Câmara de Valença, uma outra unidade, igualmente de capitais espanhóis, já está a construir naquele concelho uma nave industrial de 8.000 m2, tendo adquirido para o efeito um lote de 20.000 m2 de terreno, para se instalar na mesma zona industrial.

«É uma empresa do setor da metalomecânica, com tecnologia de ponta, que vai criar cerca de uma centena de postos de trabalho. Assegura corte de chapa com jato de água, é muita avançada em termos tecnológicos», explicou Jorge Mendes.

Esta unidade, disse ainda, deverá entrar em funcionamento durante o segundo semestre de 2014.

«Temos de ser competitivos para captar investimento estrangeiro. E apesar da conjuntura adversa, tem sido possível fazer isso aqui em Valença», enfatizou o autarca.