De todas as pessoas na União Europeia que não tinham emprego no último trimestre de 2015, 65,7% (13 milhões) continuaram sem emprego no primeiro trimestre deste ano, enquanto 15,4% (três milhões) conseguiram emprego e 18,9% (3,7 milhões) ficaram inativas (pessoas que não trabalham nem procuram emprego), entre janeiro e março.

Os dados foram revelados hoje pelo gabinete de estatística na União Europeia.

Portugal fica acima da média europeia. Na comparação com o último trimestre de 2015, entre janeiro e março 20,2% dos desempregados conseguiram trabalho. Dos restantes, 62,3% continuou no desemprego e 17,5% passou para o estado de inatividade.

A percentagem portuguesa é a quarta percentagem mais elevada entre os países da União Europeia, a seguir à Dinamarca (30,3%), Suécia (22,5%) e Áustria (22,3%).

Já esta semana o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) revelou que o número de desempregados registados nos centros caiu 6,6% em termos homólogos, em 35.035 para 497.663 mil pessoas. Um número fica, novamente, abaixo do meio milhão e se aproxima dos 495.546 de dezembro de 2009.