As perfumarias Marionnaud vão encerrar quatro das onze lojas existentes em Portugal, por alegada falta de rentabilidade, e dispensar as 19 trabalhadoras dos estabelecimentos no âmbito de um despedimento coletivo, disse hoje à agência Lusa umas das funcionárias.

De acordo com a mesma fonte, no dia 10 de janeiro as funcionárias das lojas a encerrar, três em Lisboa e uma no Porto, foram informadas do despedimento coletivo pelos advogados que representam a empresa, que posteriormente se reuniram com elas individualmente.

Entretanto a perfumaria da avenida Guerra Junqueiro, em Lisboa, já está fechada, tendo aberto ao público pela última vez no dia 15 deste mês.

Uma das trabalhadoras, que pediu anonimato, disse à agência Lusa que «não houve qualquer margem de negociação» e que as indemnizações que vão receber são as que a lei estipula.

A antiguidade das funcionárias abrangidas pelo despedimento varia entre os seis e os 14 anos.

O encerramento destas perfumarias coincide com o anuncio do encerramento da maioria das lojas desta marca em Espanha, que levará ao despedimento de várias centenas de trabalhadores.