A fábrica de confeções Vieira e Mendes, em Fafe, aproveitou as férias para fechar de vez, deixando 27 trabalhadores sem emprego e com salários em atraso, avança a Lusa, que cita fonte sindical.

Segundo José Manuel Mendes, do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, os trabalhadores deveriam regressar ao trabalho a 9 de setembro, mas entretanto foram «surpreendidos» pela notícia da apresentação da empresa à insolvência.

«Deram-lhes os papéis para o desemprego e deixaram-nos com salários e subsídios em atraso», criticou.

O sindicalista disse que os trabalhadores têm por receber os salários de julho e agosto e valores referentes aos subsídios de férias e de natal.

«Agora, resta esperar que a empresa se apresente à insolvência, ou então terão de ser os trabalhadores a pedi-la, para tentarem reaver os seus créditos», acrescentou.

A empresa labora em Fafe há 23 anos.

A Lusa tentou falar com a administração, mas sem sucesso.