A Seat acordou esta segunda-feira com as duas principais centrais sindicais espanholas um total de 201 despedimentos entre o pessoal administrativo, que receberão, em média, indemnizações de 45 dias por ano trabalhado.

Fontes da UGT e da CCOO confirmaram que as indemnizações variam entre os 40 e os 50 dias por ano, sendo que em 90% dos casos serão pagos 45 dias.

O presidente do comité de empresa da companhia, Matías Carnero (UGT), saudou o acordo, explicando que assim se evita a aplicação da reforma laboral, que implicaria um nível de indemnização menor.

Recorde-se que em novembro, a direção da Seat comunicou ao comité de empresa que pretendia aplicar um Expediente de Regulação de Emprego (ERE) para despedir até 400 trabalhadores não vinculados à produção.

O objetivo era, inicialmente, de reduzir em 5% os custos com mão-de-obra não relacionada com a produção.

Depois da negociação com os sindicatos, o ERE acabou por abranger apenas 201 pessoas.