Muitos empresários do Algarve, a região com a taxa de desemprego mais elevada do país, de 20%, queixam-se de dificuldades em encontrar pessoas dispostas a trabalhar nos ramos da restauração e hotelaria.

Os empregadores dizem que há poucos portugueses dispostos a aceitar um emprego no verão e que, desde que os imigrantes brasileiros e da Europa de Leste se foram embora, há cada vez menos gente disponível para assegurar estas funções.

A maioria dos empregos disponíveis na região são temporários e sazonais, mas nem mesmo o elevado número de desempregados no país, que atinge os 932 mil (o equivalente a 17,6% da população ativa), faz aparecer mais gente para trabalhar.