O presidente executivo da Controlinveste Conteúdos, Victor Ribeiro, garantiu esta segunda-feira que o grupo não vai avançar com mais despedimentos coletivos e adiantou que o Diário de Notícias e o Jornal de Notícias vão ser alvo de uma reformatação.

«Não temos no horizonte nenhum adicional despedimento coletivo, agora o que podemos fazer é pequenas afinações, até porque há pessoas que se voluntariam», disse aos jornalistas o presidente da Controlinveste Conteúdos, proprietária dos jornais Diário de Notícias (DN), Jornal de Notícias (JN), O Jogo e rádio TSF, entre outros, citado pela Lusa.

Victor Ribeiro falava após a apresentação da nova grelha da TSF, que hoje decorreu na Fundação Portuguesa das Comunicações, onde o responsável desvendou um pouco da nova estratégia do grupo.

Questionado sobre eventuais novas rescisões, o presidente executivo da Controlinveste Conteúdos reforçou: «Em massa já não, assim já estaríamos a danificar os nossos produtos, uma coisa é racionalizar, outra é exagerar».

Quanto ao despedimento coletivo de 140 pessoas, das quais cerca de 60 são jornalistas, Victor Ribeiro afirmou que está «a seguir o curso normal», informando que os pagamentos ainda não foram feitos, tendo em conta que a lei especifica prazos que têm de ser cumpridos e que têm de ser adotadas decisões por determinadas entidades.

«Vai ser esta época de setembro e outubro em que as coisas vão, de facto, acontecer em respeito absoluto pelos prazos legais e pelas decisões da autoridade do trabalho, entre outras», disse, sublinhando que o despedimento coletivo não é nada de que o grupo se orgulhe, mas é necessário.

A somar ao despedimento dos 140 trabalhadores, foram feitas 20 rescisões amigáveis, tendo os trabalhadores já saído do grupo.