O Banco Central Europeu (BCE) considera que as medidas introduzidas para flexibilizar o mercado de trabalho entre 2011 e 2014 poderão explicar a recuperação do emprego, mas recomenda a Portugal que prossiga a implementação das reformas “a um ritmo acelerado”.

O relatório do BCE entretanto divulgado, no qual a instituição faz uma análise das reformas no mercado de trabalho levadas a cabo em Portugal, Espanha e Irlanda, conclui que no conjunto destes três países, “e em particular em Espanha e Portugal, que tinham uma legislação mais rígida que na Irlanda, as reformas foram implementadas para melhorar o funcionamento do mercado de trabalho e promover a empregabilidade a médio prazo”.

No entanto, assinala o BCE, “ainda não é possível tirar conclusões, mas estas reformas poderão estar relacionadas com os desenvolvimentos positivos do mercado de trabalho observados nestes três países”.